Sejam Bem Vindos ao Blog Twilight A Saga Contínua!!! Comentem As Fics!

Capitulo 05 - Pronta

- Calma Bella. Você sabe que eu não ligo pra quem escolher, contanto que esteja feliz. Você deve ter pedido a ajuda da Mary não foi? – Eu fiz que sim com a cabeça e ele suspirou – Seja feliz. – Foi apenas o que ele disse, e eu senti que a discussão tinha acabado ali.

~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~

Por um lado eu estava feliz, por outro triste. Feliz porque, talvez houvesse esperança para Jacob e eu, e triste por ter magoado profundamente Edward, a quem eu tanto devia. Mas pelo menos um grande peso foi tirado das minhas costas e da minha consciência.

Não demorou muito tempo até que todos os Cullen ficassem sabendo o que ocorria. E todos foram extremamente amáveis comigo... Disseram que sempre me amariam, não importa quem eu escolhesse... Isso me magoou. De alguma forma eu queria que eles fossem duros comigo, afinal, eu merecia. Mas não, eles apenas me disseram para seguir meu caminho.

Decidi então viajar para o Brasil o mais rápido possível. Eu decidi também não contar ao Jacob por enquanto, manter minha viagem e minhas pretensões em segredo até que eu voltasse. Imagine a dor de Edward, e decidi fazer algo para que ele entendesse melhor o que eu estava sentindo... Uma carta. (N/A: Gente, eu sei que nessa fic a Bella escreve muitas cartas, mas é porque é um jeito legal dela dizer o que sente já que ela é meio “fechada” com seus sentimentos... Enjoy ^^) Peguei de novo o bloco de papel sobre a cômoda, depois a caneta e deixei as palavras fluírem.

“Edward,
Eu realmente sinto muito. De verdade. Eu não queria te magoar, todo esse tempo eu achei que tinha tomado a decisão certa, mas todos nós erramos certo?Você tinha razão, talvez eu queira uma vida... Envelhecer ao lado do meu amor, ter filhos, netos... E não posso ter isso com você. Não é sua culpa Ed. Mas neste momento nossos interesses se diferenciam, e eu tenho que buscar minha felicidade. Você entende?... Não é?

Preciso dizer o que está na minha cabeça... É que alguma sobre “nós”, não parecia certo ultimamente, a vida continua interferindo... E não importa como, qualquer que seja o plano... Ele sempre muda... É difícil dizer, mas estou fazendo o que acredito que seja o melhor para você e para mim... Mas no final tudo vai ficar bem.

Eu tenho que ir e ser quem eu sou, meu lugar não é aqui espero que entenda. Eu sei que você vai encontrar alguém que te ame com você me ama e que um dia nós vamos nos encontrar de novo, mas por enquanto eu preciso seguir meu próprio caminho.

É difícil perder tudo que sempre quis e nunca percebeu que queria... Mas eu tinha esperança, e tive que vê-la despencar o tempo todo... Todas as cores viravam cinza e era difícil ter quer assistir a tudo tão lentamente... Estou partindo hoje.

Você deve estar pensando “E nós? E tudo o que nós passamos juntos?...”, eu também penso isso, mas percebi que tenho que correr atrás dos meus sonhos... Você sabe que eu não tenho a intenção de te machucar. Preciso ir, mas vou sentir sua falta...

Não importa o que aconteça, onde quer que estejamos ou com quem quer que estejamos sempre vou te amar. Talvez não como você me ama, mas vou te amar enquanto eu estiver neste mundo. Eu quero que siga sua vida, como se eu nunca tivesse existido...

Seja feliz...

Bella.”

Dobrei o papel e o deixei em cima do travesseiro. Analisei o quarto, tão belo, e peguei uma bolsa em cima da cômoda, coloquei algumas roupas e outras coisas importantes: Minha “caixinha” com as memórias do Jake, alguns sapatos que eu gostava, o CD que Edward me dera e meu álbum de fotos. Corri pela extensão da casa e quando cheguei lá fora, admirei pela última vez o chalé. Essa seria a última vez que eu o veria. Senti aquele cheiro gostoso que ele exalava e corri.

Nenhum dos Cullen estavam em casa e eu fui até a garagem e peguei meu carro (N/A: uma Ferrari lembra-se?). Eu dirigia como uma louca pelas estradas, e em menos de uma hora já estava no aeroporto de Seattle. Abandonei meu carro no estacionamento e comprei uma passagem para o Brasil, o vôo já estava saindo e corri para pegá-lo a tempo.

Passei toda a viagem em silêncio, praticamente imóvel.

A mistura de sentimentos no meu peito provocava uma dor incompreensível. Dor por perder Edward, dor por perder minha família, misturados a felicidade. Felicidade por “tentar” me tornar humana de novo, felicidade por poder ficar com Jacob finalmente.

A felicidade ganhou da dor, afinal eu errei e tive uma terceira chance. Todos merecem uma segunda chance, mas não terceiras... Tive minha segunda chance há tanto tempo, quando Edward me deixou. Agora de novo, posso ter Jacob. Posso voltar atrás em minha decisão.

Eu não via a hora de chegar a La Push como humana (ou quase humana) e poder abraçar Jake, beijá-lo... Eu sei vou ter que lidar com um enorme preconceito pelo que aconteceu, mas eu sei que nosso amor superaria tudo isso.

Então de repente algo me veio à cabeça. Imprinting. Isso poderia nos separar... Mas será? Eu não suportaria o fato de Jacob ter um Imprinting com qualquer pessoa que não fosse eu. Seria... Insuportável. Mas não aconteceria. Meu destino era Jacob, e agora mais que nunca eu tinha total certeza disso. Afastei esses pensamentos.

Então “despertei” com a aeromoça informando que havíamos chegado. Estávamos no Brasil.

Eu soltei meu sinto e peguei minha bolsa, olhei as pessoas saindo e saí depois. Desci do avião e saí rapidamente do aeroporto. Olhei a minha volta e vi um lugar belo, cheio de verde, e que tinha um cheiro maravilhoso. Fui até o estacionamento e roubei um carro qualquer, na verdade era um Honda Civic preto, muito bonito. Dirigi como louca e peguei o papel que Lyah me entregara antes de partir, li rapidamente.

“Bella,
Quando chegar à Amazônia, saia do aeroporto e dirija até um povoado chamado “Ticuna” (é só perguntar pelo caminho para quem você ver, é bem perto do aeroporto e todos conhecem). Lá agente se encontra e te levo a minha casa.
Até,
Lyah”

“Ótimo”, pensei. Agora vou ter que sair pedindo informação. Parei o carro perto de uma mulher que andava próxima ao acostamento. Graças a deus que Edward tinha me ensinado o básico do português para quando fossemos até a ilha de Esme. Parei perto da mulher e abaixei o vidro.

- Com licença, a senhora sabe como chego até Ticuna? – Eu perguntei forçando meu português. Ela sorriu.

- Claro. Vire a esquerda numa estrada de terra e vá por lá, rapidinho chegará. – Ela disse em inglês e continuou a sorrir. – Será que a senhorita me daria uma carona até lá? Também estou indo pra lá.

- Muito obrigado, claro que sim, entre. – Eu disse enquanto subia o vidro e abria a porta para que ela entrasse. Depois segui atenta a instrução da mulher. Quando a analisei percebi a beleza exótica da mulher, e percebi que seu coração não batia.

- Por acaso você é amiga da Lyah e da Mary? – Ela perguntou sem desviar os olhos da estrada, enquanto eu virava á esquerda na estrada de terra.

- Sim... Você as conhece? – Eu perguntei curiosa.

- Sim... Meu nome é Caroline, prazer. Sou prima delas. – Ela sorriu para mim. – Você é a vampira Bella, certo?

- Isso... Muito prazer Caroline... – Eu disse surpresa e apertei rapidamente a mão dela. Era muita coincidência.

- Pode me chamar de Carol. Então, eu já sei sua história... O que te leva a crer que Jacob Black é melhor que Edward Cullen? – Como aquela mulher sabia tanto de mim? Será que Lyah e Mary contaram-na? – Como sei tanto de você? Não as garotas não me contaram... Eu sei tudo da sua vida, sei apenas pelo toque... – Ela sorriu. Ela era mesmo boa. – É um dom singular, não? Bem, então me responda Bella.

- Bem, acho que o fato de Jacob ser mais saudável para mim. Ele nunca me deixaria, ele nunca me deixou apesar de ele precisar fazer isso. Mesmo quando Sam disse que ele não podia mais me ver, ele deu um jeito. E Edward me deixou por uma coisa extremamente estúpida. – Era bom conversar com Caroline, era como se fossemos amigas há anos, afinal ela sabia tudo sobre mim.

- E você está certa... E sabe, também prefiro o Quileute... Ele é muito bonito, uma beleza exótica, um corpo maravilhoso... Tem sorte por ele te amar. E não se preocupe quanto ao Impriting... Depois posso te ensinar um velho ritual Ticuna para que uma relação não seja quebrada nem pelo Imprinting... Quer dizer, se tudo ocorrer conforme planejaram. – Ela riu. – Mas eu acho que vai. Se Deus te deu a chance de ver que tomou a decisão errada, e melhor ainda a chance de consertá-la, eu acho que tudo dará certo.

- Tomara... – Eu suspirei.

- É logo ali. – Ela indicou um local com algumas casas. – Pode parar aqui, chegaremos até a casa das garotas correndo. – Parei o carro como ela falou, e descemos. – É logo ali que elas moram, é um pouco afastado daqui, apenas uns dois minutos correndo, vem. – Ela pegou a minha mão e corremos, até chegarmos a um chalé amarelo, com detalhes pretos. Ela foi entrando e eu fui atrás dela.

- Cheguei e trouxe a Bella. – Carol gritou e logo Mary apareceu com um avental de cozinha.

- Hey Bella! – Ela me abraçou – Como vai? Quer um pouco de lasanha? Acabei de tirar do forno... – Ela sorriu e me puxou para a cozinha amarelo com o acabamento preto também, uma cozinha bem decorada e moderna.

- Você sabe que eu não como. – Eu disse séria e ela riu.

- É verdade me esqueci. Então, já conheceu a Carol, boa garota né? E tem um dom muito interessante. – Ela tirou o avental e pendurou em um gancho atrás da porta. – A Lyah já deve chegar, ela saiu com o namorado dela... – Mary revirou os olhos. – Bem, vou ter que te dar uma má notícia. – Eu gelei com as palavras dela. – Vou ter que te morder, para o meu veneno curativo fazer mais efeito. – Ela sorriu. – Eu não sei se dói, mas a dor da transformação deve ser pior. Quando estiver pronta é só me avisar. – Ela sentou na pequena mesa com quatro cadeiras e começou a comer sua lasanha. – Você não sabe o que está perdendo aqui... – Ela riu com a boca cheia e eu assenti saindo da cozinha e indo para a sala, por onde eu entrei. A decoração da sala era bem parecida com a da cozinha, e na parede jazia uma TV de tela plana, que Caroline assistia sentada no sofá. Sentei-me no sofá e tentei me preparar psicologicamente para o que viria a seguir.
Eu deveria realmente desistir dessa vida e correr atrás de Jacob? Eu deveria mesmo acreditar que meu amor por ele era maior que tudo?...

Meu subconsciente dizia que sim e eu não duvidei. Qualquer pessoa que me fizesse ir tão longe já era digna de tal sacrifício.

Eu amava Jacob, mais que Edward, não havia mais dúvidas. Meu coração ansiava bater, por Jacob, o sangue agora parado, queria circular havidamente pela extensão de meu corpo, me fazendo vibrar de emoção. Meu pulso já não agüentava mais a vontade de pular, de bater... Eu ansiava tanto a mortalidade... Será que tudo daria certo? Será que eu realmente teria outra chance?

Levantei-me do sofá e fui até Mary, que agora lavava seu prato na pia. Respirei fundo e disse às palavras que acabariam com isso tudo.

- Estou pronta. – Mary se virou lentamente e sorriu.

- Lyah chegou. – Ela olhou a irmã entrar pela porta da cozinha. – Ela já está pronta Li... Leve ela para o seu quarto. – Li assentiu e me puxou pelo braço até um cômodo afastado da cozinha, e Carol nos seguiu. Entramos num pequeno quarto vermelho, a mobília preta contrastava bem com a pintura do quarto.

- Pode deitar... – Ela sorriu e se sentou junto com Carol num sofá do lado da cama. – Vamos só assistir... – Ela sorriu e eu me deitei na cama. – Não se preocupe... – Ela disse vendo a tensão no meu olhar. – Vai dar tudo certo, eu sinto... – Tanto ela como Carol sorriram ao ver Mary entrar pelo quarto, com um meio sorriso, o rosto um pouco apreensivo.

- OK, vamos ver no que isso vai dar... – Ela suspirou. – Pronta Bella? Talvez doa... – Ela me perguntou enquanto virava minha cabeça, deixando meu pescoço à mostra. – Vou te explicar uma coisa antes. Para o veneno transformar você em vampira ele tem que correr pelas suas veias, junto com seu sangue. Mas o meu veneno circula sozinho, obrigando seu sangue a circular pelas veias de novo. – Ela se aproximou e sussurrou em meu ouvido. – Boa Sorte. – E então cravou seus dentes em meu pescoço.


Autora: Mary_Twilighter

3 comentários:

Carla Black disse...

EITA, ANSIOSA PELO PROXIMO CAPITULO. TA FICANDO INTERESSANTE..BJS

Fernanda disse...

BEM ISSO ABRIRA UM LEQUE CARA ESCRITORA,PARA O EDWARD,PARA ROSE QUE SEMPRE DTESTOU NO QUE SE TRANSFORMOU E QUER GERAR UM FILHO!!!!SE DER CERTO TODOS ELES PODEM TENTAR!!!!

SÓ ESTOU PASSDA COM A FACILIDADE QUE O GELINHO DEIXOU ELA IR TEM COISA ERRADA AKI VIU rs!!!
BJUS!!!!!!!!!!!

lorysblack disse...

TAH MUITOO FACIL PRA bELLA VIU!!É HJ TÔ DO MAL MESMO rsrsrs

ELA FEZ ELE SOFRER LITERALMENTE COMO UM CACHORRO AMO VE-LOS JUNTOS MAIS ELA MERECIA CORRER MAIS AATRAS!!!

E REALMENTE SE ELA PODE A ROSE E TODOS OS CULLENS NÃO TENTARAM AINDA PQ???

E ELA ESCOLHEU O ED E DA UMA DE LOKA AGORA COMO SE EU NUNCA TIVESSE EXISTIDO"...BEM ESSA É A BELLA.....E TBM ACHO QUE FOI FACIL DEMAIS ELE DEIXA-LA PARTIR ASSIM???SEM LUTAR??,,,BEM ESTRANHO MESMO!!!

mARY CURIEI AGORA VIU!!!!rsRs

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.