Sejam Bem Vindos ao Blog Twilight A Saga Contínua!!! Comentem As Fics!

Capitulo 01 - Indecisão

Indecisão. Era um sentimento que ultimamente me dominava, e todos os Cullen percebiam isso.
Ás vezes eu pensava se a minha decisão foi certa, porque doía demais o vazio que ficou em meu coração depois de minha transformação, há um ano atrás. Não era um vazio, era um buraco que latejava a cada vez que ouvia algo sobre ele, a cada vez que eu pensava nele. Mas era impossível não pensar nele!
Estúpido, idiota, cachorro, vira-lata...
Jacob Black é o nome que me assombra desde que deixei minha mortalidade para trás. Eu era feliz com Edward – fato. Mas eu sentia que algo faltava. Um pedaço do meu coração havia ficado com ele, e eu sabia que nunca ia recuperá-lo.
Quando voltei da minha lua de mel, Edward me transformou em vampira, e antes de ele me morder, foi à última vez que eu falei com Jacob Black. Nunca mais o vi, nunca mais ouvi a voz dele...
Ainda lembro-me da nossa última conversa - nossa despedida... Do nosso primeiro beijo... São as lembranças humanas mais fortes que tenho.
Flash Back ON
- Bella, por favor, não... – Jake implorava com os olhos cheios de lágrimas.
- Desculpa jake... Mas eu amo ele. É o meu destino – Eu disse fechando so olhos com força e tentando me convencer de minhas palavras.
- Bella, eu não posso ficar longe de você... Eu te amo. Por favor, você sabe que tem opções... Eu vou lutar hoje e sempre, até que seu coração pare de bater Bells... Eu estarei aqui. – Ele disse com a cabeça baixa, a voz mal passando de um sussurro.
- Não tenho opções Jake... Edward sempre será meu eterno amor, apesar de eu te amar também. – Disse olhando fundo nos olhos dele, tentando parecer realista. Aquela era uma verdade que nem eu mesma acreditava.
- Enquanto duas pessoas te amam você tem opções. – Ele disse me encarando sério. – Por favor, Bella... Por favor! Não quero que essa seja a última vez em que te vejo! – Ele exclamou com um tom sério, a voz baixa.
- Jake eu te amo, mas... Ele é minha vida. Você sabe. Por favor. Quando eu mudar, prometa que ainda vai ser meu amigo. – Disse com a voz baixa, a decepção estampada nela.
- Não posso prometer isso. Você não será mais a Bella. Você será minha inimiga mortal, você sabe que eu prefiro que você morra. – Ele estava sério demais, a seriedade das palavras dele me atingiram como uma bala de revolver.
- Acho que então isso é um Adeus. – Eu disse em um tom melancólico.
- È... – Ele me abraçou com força, e eu me agarrei ao sentimento de tê-lo por perto, pois essa seria a última vez. – Adeus Bella. Nunca se esqueça que eu te amo.
- Adeus Jacob... – Me apertei mais ao abraço. - Sempre vou te amar também. - As lágrimas desciam pelo meu rosto com voracidade, e a tristeza e a angústia me dominaram, a decepção era grande demais. Ele me soltou e se virou para a floresta.
- Adeus. – Ele disse e partiu em direção do denso bosque.
Flash Back OF
Esta foi à última vez que eu vi Jacob Black.
A última vez...
Que Jacob Black disse que me amava.
Queria tê-lo apenas mais uma vez e...
- Bella! – Despertei de meus pensamentos com um berro da minha melhor amiga, irmã e cunhada. – Nem pensar que você visitar os Denali com essa roupa totalmente ridícula! – Ela já se punha ao meu lado, para me xingar. Alice tinha um dom especial, ela via as coisas que iam acontecer. Estávamos planejando uma viagem a Denali para visitar Tânia e suas irmãs – Kate, Carmem, Eleazar e Irina, embora esta última não gostar muito de nós – quer dizer, em especial de mim. Ela ainda guardava rancor pelos lobos terem matado Laurent na campina, e alegava que era minha culpa. – Quer que todos duvidem das minhas capacidades com roupas? – Ela me segurou pelo braço. – De jeito nenhum você vai de calça Jeans e Blusa de malha. Na-na-ni-na-não! Não vai mesmo Senhorita!
- Me deixa Alice. – Eu disse me soltando do braço dela. – Você sabe que eu nem quero ir a Denali. Não estou com animo para isso. – Eu disse me deitando de novo no sofá do meu quarto.
- Você tem que parar com isso Bella. – Alice disse se sentando ao meu lado. – Pare de pensar no Black... Já era. Ele se foi da sua vida Bellita. – Ri em menção do apelido que Alice havia me dado. E era verdade, o vazio na parte do meu coração que pertencia a Jacob era como se ele estivesse morto. Mas de certa forma, ele estava. Nunca mais o vi, o ouvi, então eu não tinha certeza se ele ainda estava vivo.
- Eu sei Alice é só que dói demais, a culpa de tudo é minha. – Eu suspirei – Eu queria não tê-lo magoado tanto...
- Bella, alguém ia se machucar nessa história, e foi ele. Chegou a um ponto que você teve que escolher, e a vida é assim. Um dia você vai ter que aceitar. Acabou Bella. – Ela estava certa. Acabou. Não haveria mais Jacob para mim. E por minha culpa e egoísmo, não haveria Jacob para mais ninguém. – Não acha que seria melhor se sairmos de Forks?
- Não Alice. – Eu disse rapidamente. Eu não poderia deixar Forks. Não por enquanto. Estar aqui era prova de que ele fora real, isso e o lobo esculpido em madeira que jazia em meu pulso. Se eu fosse embora, meu subconsciente não teria mais provas para me fazer acreditar que ele um dia existira e que um dia ele me amara. – Eu ainda não estou pronta para ir. Mas alguns meses e acho que... – Não terminei a frase, pois eu odiava mentir, e seria uma mentira muito grande dizer que um dia eu o esqueceria.
- Bella. – Ela me abraçou. – Tem certeza de que tomou a decisão certa? – Ela disse sem me soltar de seu abraço.
- Tenho Alice. Eu sei sem quem não posso viver. – Olhei para fora da janela enquanto me separava dela. – Vai melhorar, um dia vai. Eu sei disso. Eu acredito nisso. – Ou melhor, eu quero acreditar nisso.
- Se você diz... Só quero que saiba que estarei sempre com você, não importa o que decidir, estarei ao seu lado... Nunca vou te deixar... – Ela disse me fitando com sinceridade no olhar. – Vou te deixar sozinha... Pense Bellita. – Ela disse e saiu do quarto me deixando sozinha, apenas com meu subconsciente. As palavras dela ecoaram na minha cabeça, e me lembrei da noite em que fui ao cinema com Mike Newton e Jacob, lembrei-me do que Jacob me dissera.
“É só que você está muito infeliz. E talvez isso não ajude em nada, mas queria que soubesse que sempre estarei ao seu lado, e que nunca vou decepcionar você... Prometo que sempre vai poder contar comigo. Mas você sabe disso não é? Que eu nunca, jamais vou magoar você?”
As palavras dele ecoaram com dor na minha cabeça e eu me senti surpresa de me lembrar delas. Pena que ele mentiu... Quer dizer, era verdade, naquela época. Mas agora tudo mudou, ele prometeu... Queria poder contar com ele agora. Mas a culpa também era minha. Eu o decepcionei, o magoei de uma forma extremamente dolorosa... Meu Deus. Como sou egoísta. Magoei a pessoa que mais amo e...
O que? Acabei de pensar “A pessoa que mais amo”? Então, afinal, eu estava realmente louca. Ou será que isso era apenas meu subconsciente me dizendo algo que eu demorei um ano para entender?
A resposta doía porque era obvia. Eu estava mentido para mim mesma. Jacob tinha razão. Sempre teve razão o tempo todo. Ele era mais do que apenas meu amigo. Por isso era tão impossível me despedir dele - Por que eu estava apaixonada por ele. Eu o amava, muito mais do que devia, mas não era o suficiente para mudar nada, era só o bastante para magoar nos dois. Jacob sempre tampou um buraco que Edward deixara em meu coração, como um bandaid: Tampava aquela antiga ferida que nunca cicatrizou de verdade. Nunca foi justo com ele, ele não merecia ser um bandaid, mas o tempo passou, e não posso mudar decisões passadas.
Se houvesse um jeito de eu voltar a ser humana, eu com certeza faria. Qualquer coisa para ficar com Jake. Era só nisso que eu pensava. Pena que não era possível.
Meus pensamentos foram interrompidos por alguém batendo na porta e logo depois uma voz entrou em cena.
- Bella? – Conheci a voz de Seth Clearwater, o único de La Push que simpatizava conosco. Era estranho como a amizade dele e Edward ia bem, apesar de os dois serem “inimigos mortais”.
- Entre Seth. – Disse me endireitando e afastando os pensamentos ruins. Ele abriu a porta timidamente e ergueu a mão para me cumprimentar.
- Hey Bells, tudo bem? – A voz e o cheiro dele me lembravam Jake, fazendo as beiradas do buraco em meu peito latejarem.
- Tudo, e você? Como vão Sue e Emily? – As únicas duas que ainda conversavam comigo, Sue, por ser muito amiga de Charlie, e Emily, apenas por “Gostar” de mim.
- Todos estão ótimos. – Ele sorriu. – Posso me sentar? – Ele perguntou e em resposta eu apenas fiz que sim com a cabeça e ele se sentou ao meu lado. – Ele não voltou. – Ele disse sério depois de um tempo.
- É, eu já esperava isso, apesar de uma pequena parte de mim ainda ter esperanças... – Suspirei e fitei o bosque pelo vidro da janela.
- Ele continua como lobo. Está em algum lugar perto da fronteira com o Canadá. Ele não gosta de “visitas”. – Ele fez as aspas com a mão ao dizer a palavra visitas. – Ele pensa muito em você.
- Eu estou com saudades... Disse isso a ele? – Perguntei sem esperanças.
- Sim, mas ele apenas ignorou. Ele está mal.
- A culpa é toda minha! – Choraminguei, e Seth tentou me acalmar.
- Hey, calma! A culpa não é sua... – Ele sentou mais perto de mim e –tentou – me reconfortar.
- Estou cansada de ouvir que a culpa não é minha, a culpa é minha Seth! Toda minha... Se pelo menos eu não o tivesse magoado tanto... – Balancei a cabeça negativamente. – Eu só queria voltar no tempo e fazer tudo diferente... – Suspirei e apoiei a mão na cabeça.
- Não haveria muita coisa para mudar Bella. Em toda essa história alguém teria que se machucar. Como mudar isso? – Ele me perguntou docemente.
- É tem razão. Eu só queria conversar com ele mais uma vez. Pena que este desejo vai ser sempre um sonho, bem ,longe da realidade. – Suspirei. Era só um sonho, sempre iria ser. Jacob nunca ia querer me ver.
- Na verdade, ele me disse algo em relação a você. Ele pediu para te dizer algo. – Ele disse constrangido.
- Por que não me disse isso antes Seth? – Eu disse desesperada – Me diga, o que ele te disse?
- Eu não disse por medo de te magoar. Edward também achou melhor eu não te falar. – Ele disse num tom sério demais.
- Já passou da hora de deixar de lado o que Edward diz Seth... Anda, me fala logo. – Eu disse impaciente.
- Quando eu o disse que você mandou dizer que estava com saudades, ele apenas pediu para que eu te dissesse: “Eu sinto sua falta também. Muito. Mas isso não muda nada. Desculpe.” – As beiradas infeccionadas de minha ferida arderam ao lembrar-me da carta que ele me mandara anos antes. Eram exatamente as mesmas palavras. Eu fechei os olhos com força, e se eu pudesse chorar com certeza lágrimas escorreriam de meus olhos. Eu chorava um choro sem lágrimas. – Viu? Eu não disse que era melhor não ter dito a você?...
- Não Seth, fico feliz por ter me dito. Obrigada. – Sorri. – Se pudesse me deixar sozinha... Eu... – Não terminei a frase, apenas dei de ombros. Ele entendeu e saiu do quarto, fechando a porta ao sair.
Levantei-me e procurei em minhas coisas aquele papel velho. Sacudi as roupas velhas, fotos e outros. Mas nada. Então me lembrei. Em cima do armário, aquela antiga caixinha continuava lá. Peguei-a e tirei o pó por cima da tampa. Havia muito tempo que eu não mexia nela.
Lá dentro encontravam-se do mesmo jeito que eu deixara tanto tempo antes, as mesmas coisas: Uma caixinha de balas em forma de coração, uma foto antiga de mim e Jacob quando éramos crianças, uma foto dele mais velho - já com a cabelo cortado - e por último, um papel dobrado. Peguei o último e abri lentamente, meus olhos percorreram a carta e as palavras me rasgavam como navalha.
“Bella,
Não sei por que você está fazendo o Charlie levar bilhetes ao Billy como se estivéssemos na segunda série, seu eu quisesse falar com você, teria atendido o
Foi você quem escolheu, ta legal? Não pode ter as duas coisas quando
Que parte de “inimigos mortais” é complicada demais para você entender?
Olha, eu sei que estou sendo um imbecil, mas não há como
Não podemos ser amigos quando você fica o tempo todo com um bando de
As coisas só ficam piores quando eu penso demais em você, então não escreva mais.
Sim, eu sinto sua falta também. Muito
Isso não muda nada. Desculpe.
Jacob.”
Passei os dedos pela folha de papel, sentindo as marcas onde ele pressionara tanto a caneta que quase a rasgou. Senti a angústia da culpa me tomando aos poucos, o desespero sufocando minha garganta.
A culpa estampada minha cara, meu subconsciente só piorando as coisas, e eu não conseguia achar uma forma de fazer a dor ir embora, mas ela não ia. Segurei a carta ao lado do meu peito, abraçando-a e chorando um choro sem lágrimas, as palavras se repetindo na minha mente...
“As coisas só ficam piores quando eu penso demais em você, então não escreva mais.”
Eu queria tanto vê-lo, pensei em ir aonde ele estava, mas pensei nas palavras dele e achei melhor não. Afinal, as circunstâncias desde essa carta só pioraram, então era melhor ele não pensar em mim. Mas a vontade era muito forte, então enfiei em minha cabeça: Não posso planejar ir lá, Alice saberia. Mas então pensei melhor e lembrei-me que Alice não via os lobisomens. Então... Eu devia bolar um plano.
Eu ia vê-lo, quer isso fosse certo ou não. Era uma atitude egoísta, mas era o certo a fazer.



Autora: Mary_Twilighter

2 comentários:

lorysblack disse...

AI MEU DEUS!TAH VENDO BELLA SUA ANTA O QUE VC FEZ!!!...MAS UM DIA ELE DISSE A ELA.."ATÉ QUE O SEU CORAÇÃO PARE DE BATER OU ATÉ MESMO DEPOIS"!!!
ANSIOSA DEMAIS PELO PRÓXIMO CAP!!!!

AI KERO VER O REENCONTRO E SABER COMO SERA O CHEIRO DELE PARA ELA AGORA NEH!!!!BJUS

COMEÇAMOS BEM AKI EIN MARY...JA GANHOU UMA SEGUIDORA FIEL!!!!!!!!

Fernanda disse...

aii que rolo!Bella mulher como vc é sem noção ein!!!!!..agora vc tera que lutar gata!!!!!!!
sera que vai conseguir???

Mary mais uma pra sua coleção de leitotas!!!

Bruna eh nóis queiroisss rsrsrsrsrs!!!!!Tbm me interessei por essa!!!!!!!!!

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.